08 fevereiro 2011

Do escrito à caneta

Inevitavelmente é assim, amar alguém é mais do que querer fazer uma história de final feliz, é lembrar que além do sentimento, da reciprocidade e dos sonhos jogados ao topo da escada na qual todos sonham terminar de subir, alcançando realizações, amar é saber que não se escreve um livro inteiro nem se lê de todo este. O mistério desse sentimento esta definitivamente na descoberta de que devemos basear os atos no fato de que amar é aceitar carregar nas costas o peso da escrita que não foi nossa e tentar terminar ao melhor modo que nos cabe à leitura. O que vêm escrito não há borracha que apague nem borrão e rabisco que faça ilegível, o que escrevemos pode não mudar o que já foi, mas o que importa realmente é sempre a última frase, então, nesta minha última deixo dito que, seja qual for a história, podemos refazer frases e distorcer coisas de modo que o que antes foi escrito pese menos pra que sejamos mais felizes com o que vivemos e com o que passou, basta querer que com carinho e por amor tudo se faz e se supera.

Camila Oaquim

1 comentários:

Phelipe! disse...

olha.. eu adorarei, mt bom, mt bom.. mt correto e sincero! bjsmilmelão;*

Postar um comentário