18 novembro 2009

Adolescência.

Dia após dia, ano após ano,
Vida de ilusão, vida de engano.
Procurei a certeza, a autonomia
Entendi que saber, sabia, só não podia.

Sonhos de luz, de liberdade
Doce ilusão, ah se fosse verdade,
Adquiri-se rugas, não confiança,
Eis que cresce o sonho de vingança.

A música, refugio amado
O sonho a ser alcançado
A vida a ser vivida,
O silêncio a ser escutado.

Vida curiosa esta, admirável,
Consegue-se e vira coadjuvante, erra-se e é responsável,
Todos somos lindos, todos somos amáveis
Fazendo o que queremos todos parecem amigáveis.

Ventos frios negam,
E na frieza destes, corpos se esfregam.
Quanto mais frio, menos calor há
Quanto mais gente unida,
Mais se barra o vento a passar.

Se não por bem, por mal,
Lindo mundo este de nota fiscal,
Obedece criança a hierarquia cotidiana,
o mais velho pode, o mais velho manda.

Camila Oaquim.

1 comentários:

Whiskley Lee disse...

Doce ilusão, ah se fosse verdade [2]
Essa hierarquia que somos obrigados a engolir. ¬¬
É realmente necessário?! Talvez. Mas enquanto não somos velhos e não mandamos nem podemos... vamos obedecendo.
Adorei!
*-*
Beeeijos
;*

Postar um comentário