23 setembro 2009

Flores.

Estavam juntos a muito tempo,
ela a princesa dele, ele o porto seguro dela.
Aprenderam a compartilhar sorrisos,superar problemas,
juntos perceberam que se os dois estavam presentes tudo valia a pena.
Não havia doença ou morte que pudesse separá-los,
por isso pode-se dizer que estão juntos até hoje.
Ele era um amor de pessoa,um poço de sensibilidade e generosidade,
de tudo sabia um pouco, nunca se irritava, nunca levantava a voz.
Ela, tão meiga, tão boa, incapaz de magoar alguém.
Sempre gostaram muito da natureza, ele em especial adorava flores..
cuidava com todo o zelo possível de suas flores no quintal,
dizia ele, que de todos os amigos que alguém podia ter
as flores eram a amizade mais verdadeira.
Se você dá terra elas nascem,se dá água elas crescem,
se dá amor elas desabrocham e se tornam as mais lindas e encantadoras só pra te retribuir felicidade,
só pra te fazer ficar estático admirando-as.
Tudo ia bem, mas ela sentia que algo estava por vir,
falava com ele, que simplesmente silenciava apesar de saber o que iria acontecer.
As flores que sempre estavam lindas começaram a morrer,
o sol que brilhava todo dia começava a não aparecer,
e a doença que ele escondia deu sinais mais claros de que não iria embora.
Ela entrou em choque, sabia que nada sem ele teria sentido,
e assim foi, ele dormiu, dormiu e não acordou mais
e ela ficou sem chão, sem ar..
as flores que ainda restaram de tanta tristeza morreram,
e em homenagem a ele as nuvens puseram-se a chorar,
não uma choro qualquer, naquele dia caia um temporal.
O tempo passou, ela que vivia mal sem ele não resistiu,
se entregou a vida pra dormir o quanto antes junto ao seu amor
e assim foi, do lado dele ela deitou, dormiu.
É curioso, mas em cima do casal que permaneceu unido
nasceram duas flores, não flores quaisquer,
flores idênticas aquelas que ele com carinho cuidava,
não tinham quem as regasse, cresceram da terra largada,
suportando sol e chuva. Eram extremamente lindas..
lindas porque cresceram e se fortificaram do amor que o casal cultivou.

Camila Oaquim.

4 comentários:

Anthony S. disse...

Cara, tem uma parte que me remete a algumas situações tão...tão...sentimentais eu diria.
:T
O texto é bom, gata, eu gostei muito de ler! ^^

Whiskley Lee disse...

:O
Tô passado! :O[2]
Simplesmente magnífico! *o*
Você melhora cada dia mais...
quando penso que você conseguiu o seu melhor...
você vem, escreve e me surpreende! :O[3]
Te adooooooooooro!
Beeeijos
;*

Nanaah disse...

Essa é, de fato, uma questão polêmica. Será que o suicídio por causa da perda de um amor é um símbolo de amor supremo ou covardia? Eu sinto pessoalmente como um ato covarde, pois, para mim, é a recusa a um presente divino vindo das mãos de Deus. Tem que viver pra superar a perda, pois mesmo tendo ele morrido, minha vida continua. Superação todos os dias.
Bjss1000

Vini e Carol disse...

São as surpresas da vida!
Quando está tudo lindo, tudo perfeito, sempre acontece algo.
E acho que o suicídio dela foi sim uma prova de amor! Mostra que ela vivia para ele, e sem ele nada fazia sentido, e quis ficar com ele em um lugar muito melhor do que o que estamos hoje.
Beijos.

Postar um comentário