14 fevereiro 2010

Sono

E agora você está com sono demais pra dizer algo, mas não há nada tão esclarecedor quanto o silêncio. A um minuto atrás você estava aqui comigo, tão longe e tão perto, talvez agora eu que esteja aí nos seus sonhos.
Não meu amor, não precisa acordar, você fica tão linda dormindo que eu poderia ficar velando seu sono a noite toda. Não, não precisa mesmo acordar, deixa as respostas pra amanha, não preciso de mais nada agora além de você, dos seus olhos mesmo que fechados, do seu sorriso mesmo que escondido e das suas mãos mesmo que paradas.
E agora eu estou com sono de menos pra ir dormir, coragem de menos pra te deixar aqui mesmo sem você saber que eu estou te esperando. A alguns minutos te queria tanto aqui, mas agora só quero poder estar aí. Retiro o que disse, retiro os pensamentos mais quentes de minha cabeça, juro, de quente só me restam as mãos que, se eu pudesse, estariam na sua cabeça fazendo o cafuné que antes eu disse que não iria fazer.
Não meu amor, eu não vou dormir, você é razão o suficiente para me fazer perder o sono. Não, não vou mesmo dormir, você é como o Sol me chamando pra viver, chamando pra manter os olhos abertos. Dormir sem você nos meus braços não teria a menor graça, vou ficar aqui até você dizer que tenho que ir, até você me obrigar a dormir mesmo sem você, então, vou deitar na minha cama e olhar pro teto até te encontrar na minha inconsciência. Isso, até o dia em que abrirei os olhos e te encontrarei nos meus braços.

Camila Oaquim.

1 comentários:

Grumpp disse...

Oi Camila! Como é que vc sabe como eu me sinto nesse feriado???
Explico... minha esposa viajou sozinha (sem mim) pela primeira vez após quase 7 anos de relacionamento, e fiquei aqui... sentindo exatamente tudo isso que vc escreveu aí...
Muito bom seu blog... vou seguir...
bjoo...

Postar um comentário