18 janeiro 2010

Alergia

Cretinamente você chegou
Já se jogando pra cima de mim
Silencioso e preciso, safado
Não precisava ser assim.

Confesso que nem vi você chegar
Tão pouco você sair,
Ousado realmente você foi
Ou me amou ou quis me ver cair.

Me mordeu como se fosse comida
Levou meu sangue, ingrato
Agora estou aqui, e olhe
Suas marcas ainda estão em mim, fato.

Não quero lembrar,
Seria tão mais fácil esquecer
Mas você fez questão de me deixar
Fazendo-me lembrar de você ao me ver.

Quando isso passar,
Tenha certeza que você está ferrado
Comprarei repelente e irei usar,
Quero ver você morrer, mosquito odiado.

Camila Oaquim.

4 comentários:

Pobre esponja disse...

Que mosquito safado!!
É mais macho que os Vampiros atuais, pelo menos gosta de mulher (e sangue)

abç
Pobre Esponja

Daniel Braga disse...

HAhah, adorei.. uma bela surpresa no final! =)

~Até a próxima, amore... passa no meu blog, please!

*DB*

MariaClara disse...

rsrsrs acho que o mesmo mosquito passou aqui por Curitiba menina!? hahahahah muito bom adorei!

Chazzy Chazz disse...

1º Gostei do texto
2º Cade o livro?
3º Era pra ter um duplo sentido ou foi so uma interpretação minha!?

Postar um comentário