13 janeiro 2010

Dia-a-dia

De tudo que julguei um dia
Boa parte hoje eu já fiz
Deve ser essa a grande ironia,
A pessoa não fazer sempre o que diz.

Meus pensamentos voam
Motivados pela falta de raiz
Fazendo de mim inconstante
Querendo e não querendo mais o que quis.

Não estou perdida
Só não consigo me achar
No momento, não quero nada
Do que todos podem me dar.

Não estou confusa
Só não consigo entender
Porque sempre quando preciso
Nunca sei o que fazer.

Minha vida destoa hoje
Do que um dia quis pra mim
Talvez essa seja a graça da vida,
Não posso dizer que sou infeliz assim.

Camila Oaquim.

4 comentários:

Daniel Braga disse...

Nossa, eu adorei o seu poema.. ficou muito lindo, suave e simples.

~> Visita meu blog... até a próxima, querida.

*DB*

Phelipe disse...

como vc sabe...
seu lirism....

Caio Sereno disse...

Bom texto... Bem sutil e com rimas docemente singelas!
Beijos,

Isabela Moraes disse...

Bela maneira de falar da ironia da vida, da inconstância e desse eterno quero-não-quero da vida.

Postar um comentário